terça-feira, 18 de agosto de 2009

Vida

Como é bom rir dos medos de outrora
Como é bom tê-los sentido
Saber, sou humano
E hoje...Hoje pisar em cada um deles
Formigas aos meus pés

Memória bendita
Tudo o que preciso
Me impulsiona a dizer não
Não a tudo que quero
E não posso pensar em querer

Alvorecer com a força
Força que os medos ora me deram
Medo de ter que sentir medo

Coragem e medo de braços dados
Escolher? Dor...
Saber? Pavor...
Sorrir? Vencer...
Chorar? Arrepender...
Viver? Viver...
Viver!

4 comentários:

Aмbзr Girℓ ⅞ disse...

coisas da vida mesmo

vc as retratou como ninguém

Blog Suicide Virgin

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Viver e não deixar de respirar todas as esperanças...

Beijo grande.

Rebeca

-

dablog disse...

Viver, como diz um certo comercial, é a mehlor solução!

hc disse...

muito intereçante o que vosse espressol neçe poema poiz eispoem as fragilidadis do çer umano com um todo...