terça-feira, 15 de setembro de 2009

Devaneio (parte II)

Corri no tempo
Não tive tempo de alcançar o tempo que se perdeu no tempo perdido do tempo que criei pra mim.

Senti o medo
Que surge do temor do medo que tive ao fugir do medo que me perseguia dentro de meus próprios medos.

Apaguei as trevas
Com a luz que as trevas apagaram no escuro da minha procura por essa mesma luz.

Continuo aqui
Louca e alucinada perseguindo aquilo que me persegue a cada dia e que me leva a perseguir tudo aquilo que não sei perseguir.

2 comentários:

Marcia Santiago disse...

Quase pude ver seu coração.....mas senti lo foi emocionante!!!Parabéns pela liberdade de mostrar seus sentimentos e sua verdade!!!

Akhen disse...

smOs seus sentimentos despidos de tudo. Sentimentos apenas. Lindo.
Realmente nós temos medo do medo que sentimos dentro de nós. É como correr desesperadamente, fugindo da própria sombra.
Rosele, quanto ao tempo, veja no meu blog um escrito que está lá ALEPH, e depois já sabe que o tempo é como o medo.

Paz e Luz no seu caminho