segunda-feira, 19 de abril de 2010

Clichê

Encontrei esse pequeno poema em um caderno antigo.
O escrevi há muito tempo, antes de conhecer o amor da minha vida...

Leiam com carinho...

Clichê
Tudo o que quero é alguém pra amar
Um amor cheio de clichês
Tudo o que sei ter direito

Quero poder me emocionar
Com todas as minhas fantasias românticas de menina
Quero poder ser ridícula...
E morrer de amor...


3 comentários:

Carlos Felipe Figueiras disse...

Num tem clichê não. É tudo "orirrinal".

Ana disse...

Ai amei. pra complementar: tão bom morrer de amor e continuar vivendo...

dablog disse...

Ridículo é não passar por ele.